AS 10 NOTÍCIAS MAIS LIDAS

CLIQUE AQUI

OS 10 VÍDEOS MAIS VISTOS

CLIQUE AQUI
Imprimir

Impactos das TICs na sociedade em debate

Publicado .

Especialista destaca que as TIC's afetam a economia e têm impactos sociais significativos.

As novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), em especial nas últimas duas décadas, impactaram significativamente diversas dimensões sociais. Na economia, política, comunidade, domínios institucionais especializados (educação, saúde, lei, bem-estar, seguridade social, entre outros), na cultura e nos valores - indústria cultural, crenças, normas e comportamentos. No entanto, ainda há países e regiões marginalizadas pela falta destas e de outras tecnologias. Esse foi o tema da mesa-redonda "TIC's como instrumento de desenvolvimento", realizada na última terça-feira (14) pelo Secretário de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia (Sepin/MCT), Augusto Cesar Gadelha, durante a 61a Reunião Anual da SBPC, em Manaus.

Gadelha destacou que, nas últimas duas décadas, a produtividade teve um aumento em 40% e a facilidade na comunicação faz com que as tarefas sejam realizadas com mais rapidez. Ele, por sua vez, confessa que o impacto não é uniformemente distribuído no mundo. Para ele, as adaptações às novas TICs ocorrem de forma mais significativa em países com maior capacidade de se adequar às estruturas sociais e mudanças.

O especialista lembrou também que a internet, que ganhou proporção mundial há cerca de 15 anos, proporcionou uma facilidade de comunicação entre diferentes atores de todo o mundo. Mas, no cenário brasileiro, a inclusão digital no país está longe de conquistar uma uniformidade. "Não adianta ter avanços se eles não chegam a uma parcela significativa da sociedade", enfatiza. Hoje, dados otimistas do Comitê Gestor de Internet no Brasil (CBI.br) estimam que cerca de 35% da população tenha acesso à rede - e cerca de metade deste acesso ainda se faz por conexão discada.

Participação social
Gadelha destacou também a importância da internet para democratização da informação pública. Ele exemplifica com o caso dos cartões corporativos do Governo Federal, que tiveram seus gastos - como em restaurantes, hotéis e até em petshops - revelados pela internet.

Ele lembra que a campanha do atual presidente americano norte-americano, Barack Obama, foi realizada, em boa parcela, por iniciativas na internet utilizando as redes sociais como forma de politização do indivíduo. Isso, claro, num país em que mais de 95% das pessoas têm acesso à rede. "Esta tendência em destaque foi vista pelo mundo inteiro", afirmou o especialista.

Ainda abordando a internet, Gadelha tratou de outro tema importante: o tratamento jurídico para o seu uso. "Está em questão à individualidade e a liberdade, mas não podemos deixar de nos preocupar com a pedofilia na internet, por exemplo", afirmou. Para ele, devem existir leis - que já estão em discussão - para punir algumas irregularidades, que, ainda hoje, não encontram respaldo na constituição.

As TIC's movimentam mundialmente três trilhões de dólares por ano. No Brasil são 98 milhões. Gadelha acredita que a estrutura da comunicação, a conectividade sejam importantes, mas o acesso a informação é essencial. "Mais importante do que ações de governo são as ações da sociedade".

Fonte: Secretaria de Ensino Superior - SP