AS 10 NOTÍCIAS MAIS LIDAS

CLIQUE AQUI

OS 10 VÍDEOS MAIS VISTOS

CLIQUE AQUI
Imprimir

'Usam Whatsapp para pedofilia, tráfico e assaltos', diz delegado que pede bloqueio do app

Publicado .

"Sabemos que o Whastapp é usado no Brasil para crimes como pedofilia, assaltos e tráfico de drogas. O aplicativo serve como facilitador no ambiente virtual para crimes cometidos em ambientes comuns."

Quem afirma é Alessandro Barreto, delegado do núcleo de inteligência da policia civil do Piauí e um dos responsáveis pela operação que culminou no pedido de bloqueio do aplicativo de mensagens instantâneas mais popular do Brasil.

Imprimir

Magno Malta quer alterar a Constituição para punir crianças que cometem crimes hediondos

Publicado .

Senador Magno Malta (PR/ES) apresentou, nesta quinta-feira, requerimento propondo emenda à constituição Federal para prever que a criança e adolescente sejam responsabilizados pelos crimes de natureza hedionda, que cometerem na medida da capacidade de entendimento e de autodeterminação, a ser averiguado no caso concreto, nos termos da lei. “A proposta tem como objetivo primeiro fazer justiça. Nosso ordenamento jurídico permite impunidade para menor de 18 anos de idade, que não pode ser devidamente responsabilizado criminalmente. Vamos mudar esta realidade”, promete Magno Malta.
 
A proposta do senador Magno Malta, já bastante debatida, e com clamor popular, é retirar a idade como fator de imputabilidade penal de nosso ordenamento jurídico e deixar que os juízes decidam caso a caso, nos atos classificados como crimes hediondos. “Há crianças e crianças, Há adolescentes e adolescentes. A vida corrompe uns muito mais cedo do que os outros. As diferenças devem pesar na balança da justiça”, esclareceu Magno Malta.

Imprimir

Magno Malta quer plebiscito para instituir prisão perpétua no Brasil

Publicado .

Segundo o senador Magno Malta (PR/ES) “no Brasil a lei não é severa e justa. A pena no País não pode ultrapassar o teto de 30 anos, em caso de doenças e idade avançada. Um criminoso que  assalta e assassina várias pessoas, pode ser condenado até mais de 200 anos em  regime fechado, mas só vai cumprir até 30 anos de reclusão e com tantos benefícios do Código Penal em favor do preso, como regime semi aberto para estudar ou trabalhar e com apenas 1/3 da pena cumprida, já pode gozar de liberdade total. É uma falácia. Por isso, na próxima terça-feira, vou entregar na Comissão de Constituição e Justiça – CCJ – do Senado,  requerimento solicitando plebiscito no Brasil este ano, para instalação de uma mini-constituinte ou constituinte exclusiva com objetivo de ouvir a população para decidir se quer ou não prisão perpétua para narcotraficantes, pedófilos e corruptos. E quero também que sequestro relâmpago e assaltos na porta de bancos conhecidos como “saidinhas”, sejam classificados como crimes hediondos. Prisão perpétua no Brasil já. Precisamos de leis severas para diminuir a impunidade que vai refletir diretamente na crescente violência urbana”, informou Magno, em entrevista exclusiva ao jornal A Tribuna.

As recentes manifestações populares trouxeram à pauta de discussão a efetivação de instrumentos que viabilizam a chamada soberania popular. Magno Malta tentando amenizar o clamor das ruas, quer a realização de uma mini-constituinte ou constituinte exclusiva. “Podemos dizer que o povo não acredita nas leis brandas e a impunidade é um fermento que faz crescer cada vez mais a violência em todos os sentidos. A população quer ser ouvida”, afirma Magno.

Imprimir

Magno Malta continua lutando contra aceitação da pedofilia e das drogas pela sociedade moderna

Publicado .

Fenômeno da modernidade, juventude cada vez mais precoce e adolescência cada vez mais longa. As crianças na mais tenra idade já são estimuladas a agir como adultos em relação à sexualidade, enquanto verdadeiros marmanjos continuam agindo feito adolescentes mimados e irresponsáveis. “É algo espantoso! Pais, por falta de conhecimento, aceitam o uso da maconha, da bebida alcoólica e a prática de sexo precocemente, colocando em risco a estrutura da família refletindo diretamente nos pilares éticos e morais da sociedade”, lamentou senador Magno Malta (PR/ES), em entrevista para imprensa nacional.

Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família Brasileira, senador Magno Malta, acompanha de perto a vulgarização das músicas no carnaval incentivando crianças ao sexo e até ao uso de drogas. “É triste, mas estou muito preocupado com nossa juventude que nessa sexualidade cada vez mais precoce, em tempos de relativismo moral exacerbado, constará como pauta na agenda “progressista” a relativização da pedofilia também, como ocorre recentemente movimento pró-legalização da maconha. Não digam que enlouqueci ou sou paranoico. Na verdade,  isso já é realidade, e era para estar em estágio bem mais avançado, não fosse nossa luta diária contra a pedofilia e a legalização da maconha”, disse com fala firme, senador Magno Malta, que aproveitou o feriado para trabalhar nas mais de 700 proposições que tramitam no Congresso Nacional ameaçando a família.

Imprimir

Mundo: Vaticano admite dois casos de pornografia infantil na Santa Sé

Publicado .

O Vaticano admite dois casos de pornografia infantil dentro da Igreja Católica. O promotor de Justiça do Vaticano informou sobre dois casos de posse de material de pornografia infantil em um relatório lido para autoridades da Santa Sé, na cerimônia que abre o ano jurídico. O promotor não deu detalhes, mas um dos casos envolve o ex-arcebispo Jozef Wesolowski, que foi preso em setembro, acusado de pedofilia enquanto era embaixador papal na República Dominicana. A Igreja Católica tem sido atingida por escândalos de abuso sexual de crianças, por padres, nos últimos 15 anos. O papa Francisco prometeu tolerância zero aos infratores. As vítimas querem que os bispos que encobriram tais abusos também paguem por isso.

Fonte: Band News

Imprimir

Sem limites. Pauta factual para reflexão de toda família brasileira

Publicado .

Os atos infracionais envolvendo menores de idade estão sempre em alta enquanto o debate em torno do assunto (redução da maioridade penal) patina, mas não consegue avançar, em detrimento de diversas correntes em torno do tema. De um lado a sociedade que paga seus impostos que não retornam em segurança pública, famílias que convivem diariamente com o medo que hoje se espalhou por todos os lugares e em todos os horários. Pais de família reféns do medo da delinquência adulta e juvenil, pois não há limite de idade para a violência. De outro, estão os defensores dos direitos humanos e eles têm que existir também para impor limites as autoridades, de outro está a Constituição Federal, que é soberana.